Skip to main content

RescueTime - Um software muito bom para medir a produtividade na frente do pc

Você se acha uma pessoa produtiva?

Posted in Dicas, Análises, Produtividade

Não adianta mentir: Todo mundo acha que é super produtivo até que se prove o contrário. E geralmente, quando se prova o contrário, a pessoa fica toda nervosa botando a culpa na empresa, no chefe, no cachorro do vizinho, na mulher que não cozinha direito e por aí vai.

Mas, cá entre nós, você sabe quanto tempo, de fato, você fica nas suas atividades?

Para descobrir isso é muito fácil: Basta instalar um software que contabiliza o tempo em que cada software ou site está aberto. E ele tem nome: RescueTime.

O RescueTime é um software muito simples. Ele fica no tray (ali, ao lado do relógio) monitorando tudo o que você faz. Quando você quer puxar um relatório é só acessar o site e ver o quão produtivo você é. O pulo do gato é o sistema de categorias que ele tem. Cada software ou site é classificado em 5 níveis: Very distracting, distracting, neutral, productive e very productive. O Visual Studio, por exemplo, é classificado como very productive. Nem precisa dizer qual a classificação do Facebook, né?

Estou testando no meu notebook esses dias e achei muito bom. Claro, como é meu computador pessoal dá pra ver como eu sou uma pessoa extremamente improdutiva nas imagens abaixo:


Tabelinha mostrando o que eu usei no dia do teste

Gráfico mostrando o que eu usei no dia do teste

Atualmente estou usando a limitadíssima versão free mas que me atende perfeitamente. Para grupos de usuário existem várias versões pagas. Uma delas, só pra se ter uma idéia, custa US$ 70,00 por mês para 5 usuários. Com isso um gerente poderia monitorar o time para ver se eles estão passando mais tempo no fazendo coisas improdutivas do que produtivas.
 
Sugiro usar a versão free e fazer um teste. Vale muito a pena, até pra se policiar.

Did you like the article?

You can subscribe and get them as soon they are online, share using the buttons bellow or leave a comment.

And you also can share using your favorite social network:

Como inserir vários registros no banco usando Entity Framework?

Ok, é com SqlBulkCopy. Mas como ele pertence ao ADO.NET dá no mesmo

Posted in Dicas, Tutoriais, Entity Framework

O Entity Framework (EF) é um ORM da Microsoft que permite a nós, programadores, desenvolver dentro de um modelo conceitual de dados ao invés de programar direto no banco. Desse modo qualquer alteração feita nos dados durante seu uso no sistema deve ser persistida no banco já que isso não é feito automaticamente. No caso do Entity Framework usaríamos o método SaveChanges.

Para funcionar o EF gera um script SQL para cada ação. Assim, se chamarmos o método AddObject para inserir um objeto Pessoa, um INSERT é gerado e enviado ao banco de dados junto com as propriedades do objeto Pessoa.

E quando vamos adicionar 3.000 registros de uma vez?

Nesse caso temos 2 soluções:

  1. Fazemos um loop e jogamos 3.000 INSERTs no banco de dados (não recomendado)
  2. Usamos a classe SqlBulkCopy

Opa, peraê: Quer dizer que não vamos usar o Entity Framework então?

O Entity Framework não tem uma maneira nativa de se fazer um bulk insert. Mas como ele foi construído sobre o ADO.NET não teria problema usarmos o SqlBulkCopy. Isso sem contar o fato que o SqlBulkCopy traz pra gente um ganho considerável de performance com relação aos múltiplos INSERTs.

Veja um exemplo do uso do SqlBulkCopy:

using (SqlConnection destinationConnection = new SqlConnection(connectionString))
{
	destinationConnection.Open();
 
	using (SqlBulkCopy bulkCopy = new SqlBulkCopy(destinationConnection))
	{
		bulkCopy.DestinationTableName = "dbo.BulkCopyDemoMatchingColumns";
 
		try
		{
			//O reader é um SqlDataReader que recebeu todos os 3.000 registros anteriormente
			bulkCopy.WriteToServer(reader);
		}
		catch (Exception ex)
		{
			Console.WriteLine(ex.Message);
		}
		finally
		{
			reader.Close();
		}
	}
}

O fato da gente precisar usar o SqlBulkCopy não quer dizer que o Entity Framework é ruim. Digamos que a Microsoft “esqueceu” de adicionar essa feature no EF...

Did you like the article?

You can subscribe and get them as soon they are online, share using the buttons bellow or leave a comment.

And you also can share using your favorite social network:

Como corrigir o erro "Error in processing. The server response was: Greylisted, please try again in X seconds"

Exatamente, a solução pra esse erro bizarro. Quantas vezes você já viu esse erro?

Posted in C#, Dicas, Tutoriais, ASP.NET

Eu tive uma sexta-feira interessante. Foi o último dia com uma turma onde eu tive que substituir o instrutor. Eles tiveram alguns problemas com ele e eu fui o escolhido para a substituição. Tudo correu bem. Depois eu fui olhar o log de erros do meu blog (eu uso Elmah, a propósito) e vi um erro que nunca tinha visto antes:

System.Net.Mail.SmtpException
Error in processing. The server response was: Greylisted, please try again in 240 seconds

O tempo varia mas, depois de procurar no google por alguns instantes, achei a solução. Meu servidor tinha implementado algo chamado Greylisting que, de acordo com a Wikipedia, é uma maneira de defender os usuários de e-mail contra spam. Logo, e-mails não reconhecidos pelo sistema são automaticamente rejeitados por um tempo.

Como corrigir?

Tudo que precisei fazer foi criar uma conta de e-mail no meu servidor e adiciona-la no meu web.config da seguinte maneira:

<system.net>
	<mailSettings>
		<smtp>
			<network defaultCredentials="false" host="Mail@DomainName.com" port="25" userName="username@DomainName.com" password="ThisIsAPassword"/>
		smtp>
	mailSettings>
system.net>

Obviamente você precisa colocar seu próprio host, username e password. :-)

E é isso.

Em tempo: A solução eu achei aqui here.

	<system.net>
		<mailSettings>
			<smtp>
				<network defaultCredentials="false" host="mail.davidsonsousa.net" port="25" userName="contact@davidsonsousa.net" password="D#sousa12"/>
			smtp>
		mailSettings>
	system.net>

Did you like the article?

You can subscribe and get them as soon they are online, share using the buttons bellow or leave a comment.

And you also can share using your favorite social network:

Private cloud: A evolução da computação nas nuvens

A Microsoft está lançando novas certificações para esta nova tecnologia!

Posted in Notícias, Carreira, Certificações Microsoft, Computação em nuvem

Eu já falei do Windows Azure aqui (em inglês). Mas pra simplificar a idéia do Azure: É uma solução de computação nas nuvens e uma das suas vantagens é escalar os projetos de acordo com a necessidade das empresas. Como algumas empresas não se sentiriam confortáveis enviando dados para os servidores da Microsoft ela criou o conceito de Private Cloud.

Uma solução Private Cloud, que é feita no Windows Server usando a tecnologia System Center transforma sua própria infra em uma nuvem interna. Isso faz com que a manutenção e desenvolvimento de soluções seja simplificado, diminuindo os custos enquanto se aumenta a agilidade e o poder de processamento.

Com isso em mente tudo o que a gente precisa é uma equipe qualificada para fazer isso.

Pois bem, a Microsoft sabe que o mercado precisa de gente qualificada pra isso e sempre ofereceu treinamentos e certificações para que os desenvolvedores e profissionais de TI possam desenvolver e validar suas habilidades. E agora temos uma certificação de Private Cloud!

A certificação de Private Cloud vai estar disponível como beta em abril e tem como fundação as certificações de Windows Server 2008 que temos hoje mais as certificações de System Center 2012 (ainda em beta).

Comece hoje dando uma olhadinha na página da certificação de Private Cloud. Lá é um ótimo lugar para começar. Você também pode se inscrever para o Private Cloud Jumpstart course que está vindo aí.

Tá na hora de se mexer. Certeza que vai ter muito trampo relacionado a isso em um futuro próximo.

Did you like the article?

You can subscribe and get them as soon they are online, share using the buttons bellow or leave a comment.

And you also can share using your favorite social network:

Se você é um trabalhador mediano, seu salário também é mediano. E você vai ser demitido!

País crescendo e muitas vagas de emprego. Mas como anda a qualidade do seu trabalho?

Posted in Dicas, Carreira

Hoje, com mundo globalizado, vemos o quão rápido as coisas mudam. Infelizmente para alguns a maneira como o trabalho é feito também está mudando.

Conheço algumas pessoas que acham que trabalhar de 8 horas por dia fazendo um trabalho mediano vai garantir estabilidade no setor privado. O problema é que, além deles serem os primeiros a serem demitidos quando a empresa precisa cortar pessoal, eles nunca crescem profissionalmente.

Sem contar com o pessoal que pensa que deve fazer pouco por que o chefe paga pouco, o que beira a irresponsabilidade e a falta de profissionalismo.

Essas pessoas esquecem que sempre existe alguém que tem as suas mesmas qualificações e faz a mesma coisa que você, só que mais barato. E isso vai fazer com que você perca espaço no mercado ou abaixar o seu próprio valor.

Logo, você tem que ser mais qualificado. A não ser que você passe a cobrar mais barato do que os outros. Quem é de TI sabe que isso acontece com os famosos “sobrinhos” (tipo o sobrinho do açougueiro, que sabe fazer site e cobra mais barato).

Eu já mencionei aqui no blog como tirar uma certificação Microsoft e até o motivo dela ser importante no mercado de trabalho. Mas não se pode limitar a isso. Qualquer curso ou certificação que possa ser usado na sua área vale a pena.

Sabe por quê?

Porque, como disse Seth Godin, se você é diferente de alguma forma e se fez único, as pessoas vão te achar e pagar mais.

Inspirado no artigo que li no Business Insider.

Did you like the article?

You can subscribe and get them as soon they are online, share using the buttons bellow or leave a comment.

And you also can share using your favorite social network: